8 de dez de 2007

Marize Castro

Olá, amigos!

Hoje trago a esta árvore uma das mais belas vozes da poesia contemporânea do Rio Grande do Norte: Marize Castro

A poesia de Marize Castro me emociona. Ela é suave e intensa, de um lirismo extremamente belo e seus versos dialogam com autoras como Ana Cristina César, Orides Fontela e Virginia Woolf.

Marize Castro é uma das minhas melhores descobertas na poesia. Sou fã mesmo e espero que vocês também gostem.

------------------------------------

Vinho

Se o queres seco
para molhar a garganta
eu o quero suave
para reinventar
essa chama
se o queres branco
para velar a virgem
eu o quero
vermelho
do porto
para aportar
as paixões
que me dividem
------------------------------------

Provérbio

Em todo poema
há uma hiena
pronta a rir
do leitor
que se atreva
a fugir
sem receber
a senha.
------------------------------------

À Margem
a Ana C.

Recebi pelo correio
a blusa de seda negra.
Não a vesti.
Espero instruções in loco.
Corto os pulsos
ou me enforco?
------------------------------------

Descalça

Estou descalça e tenho sono.
Os pássaros daqui não me acordam.
Sou acordada por aves de outras castas.

Outras esferas.
------------------------------------

Solar

Cadáveres despertam depois do amor.
Lágrimas choram e se estrangulam.

Não sou a mulher que você vê.

Não sei o que é o inverno
- nunca vi a neve.

O meu ofício é reinventar asas para o sol.
------------------------------------

Predestinada

Nua, às três da madrugada,
ainda escavo minas
instaladas em minha alma.
------------------------------------

Néctar

A verdade aproxima-se.
Olha-me com os olhos
abismados da beleza.

Não sou a mulher
que corta os pulsos e se joga da janela
nem aquela que abre o gás
nem mesmo a loba que entra no rio
com os bolsos cheios de pedra.

Sou todas elas.

Escrever me fez suportar todo incêndio

– toda quimera.
------------------------------------
Mais: Marize Castro nasceu em Natal/RN, poeta, jornalista, autora dos livros Esperado ouro (2005), Poço. Festim. Mosaico. (1996), Rito (1993) e Marrons Crepons Marfins (1984).

9 comentários:

Everton Rodrigo disse...

Gostei muito do estilo!!! Simples diz tudo em poucas linhas!!! ass everton rodrigo

Everton Rodrigo disse...

em poucas palavras!!!

Rosangela disse...

Coisa boa de se ler, sem ser cansativo, diz tudo em poucas palavras...

Vi teu link no blog da Érika e vim visitar-te ...

beijos no coração....

diovvani mendonça disse...

Ô Marina!!!
Gostei demais... Nectar du-bom, a poesia captada pela Marize. Bom saber, que ela gosta da Ana Cristina Cesar - eu também sou fã. Será, que tem livro da Marize, aqui em BH?

~^^ Abraço~^^ ~ pra vocês duas.

Múcio L Góes disse...

Humm Marize é poesia pura, sem deslize. Quem lê Marize sempre acha pouco, quer reprise. rs

Amei, Mah.

Amo Mah.

Bjo, Mah.

david santos disse...

Passei para desejar-lhe um bom final de 2007 e um bom ano de 2008.

Aproveito para LHE pedir que participe na blogagem colectiva que se realiza amanh� dia 17, em prol da menina Fl�via

tonho frança disse...

Nossa, profundamente encantado com teus poemas, íntimo da emoção, arroubo de imagens, sossego de canção. Meu respeitoso abraço,
com carinho,
reverência poeta

Elcio Tuiribepi disse...

Olá...adorei este blog, muito...muito bom. Adorei os poemas, e toda a essência poética que gira em torno do desejo de escrever, e assim colocar para fora
as palavras que vagueiam dentro da gente. Parabéns pela idéia. Quando puder venha conhecer o meu Verseiro, é ainda um pé novo, mas cheio de vontade de crescer. Um abraço na alma

Anônimo disse...

It is appropriate time tο make somе plans fοг
the futurе and it's time to be happy. I have read this post and if I could I wish to suggest you few interesting things or advice. Maybe you could write next articles referring to this article. I want to read more things about it!

Have a look at my weblog tantra